Tratamento com coquetel diminui em 52% os novos casos de Aids

O tratamento dos soropositivos com triterapia (mais conhecida como coquetel) divide pela metade o número de novos casos de infecção com HIV, segundo um estudo publicado neste domingo (18) pela revista “The Lancet”, antes da abertura da 18ª Conferência Internacional sobre Aids em Viena.

Entre 1996, data do lançamento dos tratamentos com triterapia, e 2009, o número de pessoas tratadas passou de 837 a 5.413 na província canadense de Columbia Britânica, onde foi realizado o estudo.

No mesmo período, o número de novos diagnósticos de soropositividade passou de 702 a 338, ou seja, uma queda de 52%.

“Para cada cem pessoas com tratamento de triterapia, o número de novos casos baixava 3%”, assinalam os autores do estudo, dirigido pelo argentino Julio Montaner, diretor do Centro para a Excelência sobre a Aids da Columbia Britânica e o presidente da Sociedade Internacional de Aids (IAS, siglas em inglês), que organiza a conferência internacional.

De fato, o número de novos casos varia em função da utilização dos tratamentos: é quase estável entre 2001 e 2003, e em clara baixa entre 1996 e 2000 e 2004-2009, quando o uso dos tratamentos está em alta.

De acordo com o estudo, a baixa do número de novos diagnósticos ocorre em particular entre os consumidores de drogas por injeção. As taxas de infecções sexualmente transmissíveis, em compensação, aumentaram durante o estudo, o que implica que seus resultados não se devem a uma baixa das condutas sexuais de risco, segundo os pesquisadores.

Estes resultados, assinalam, mostram a eficácia do uso das triterapias “para reduzir a transmissão do HIV e justificam de maneira contundente que se volte a examinar a dicotomia estabelecida entre prevenção e tratamento do HIV”.

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre o HIV/Aids (ONUAids) acaba de publicar um informe favorável à utilização do tratamento como “ferramenta de prevenção” de novas infecções.

Fonte: G1

Data de criação: 21/07/2010
Última atualização: 21/07/2010

Veja também:

AIDS | HIV nas redes sociais

  • orkut
  • twitter
  • facebook
  • youtube
  • rss

Deixe sua mensagem

Lembramos que a equipe do site AIDS/HIV é formada por jornalistas. Portanto, as informações encontradas no site NÃO dispensam as orientações médicas. O nosso objetivo é informar e nunca substituir a palavra de um médico.


(obrigatório)

(obrigatório)

Mensagem