Pacientes de SC sem remédios

27 de abril de 2010

Há mais de um mês, os pacientes soropositivos procuram em vão os medicamentos Lamivudina e Biovir, principais itens no tratamento de quem vive com o vírus HIV, no único posto de distribuição de Florianópolis.

De acordo com Iraci Silva, gerente do DST/HIV/Aids, da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive), o abastecimento irregular acontece em todo Estado. Cerca de 3.200 pessoas estão esperando para iniciar o tratamento em Santa Catarina.

A compra e a distribuição dos medicamentos são feitas pelo Ministério da Saúde. Problemas burocráticos com o atual laboratório que produz e fornece os remédios é a causa para a falta de remédios. Segundo ela, o esclarecimento enviado pelo órgão, no dia 16 de abril aponta a redução dos estoques como justificativa para a situação.

“Temos mais de 11 mil pessoas em tratamento no Estado. No mês passado, mais de 1.500 pacientes não puderam ser atendidos. Mas a nossa demanda está reprimida desde o início do ano”, afirmou.

Em Joinville, onde há 4,2 mil pacientes cadastrados, a Vigilância Epidemiológica, que administra o programa municipal DST/HIV/Aids, não verificou problemas na distribuição do coquetel. A gerente Jeane Regina Vieira afirma que não foram registrados atrasos nem falta de medicamentos. Cerca de 26% faz uso de antirretrovirais. Em torno de 2 mil soropositivos recebem apenas acompanhamento médico porque ainda não desenvolveram sintomas da doença.

Fonte: ClicBS

Data de criação: 28/04/2010
Última atualização: 28/04/2010

Veja também:

AIDS | HIV nas redes sociais

  • orkut
  • twitter
  • facebook
  • youtube
  • rss

Deixe sua mensagem

Lembramos que a equipe do site AIDS/HIV é formada por jornalistas. Portanto, as informações encontradas no site NÃO dispensam as orientações médicas. O nosso objetivo é informar e nunca substituir a palavra de um médico.


(obrigatório)

(obrigatório)

Mensagem