Gel vaginal reduz em quase 40% a infecção pelo vírus da Aids

O tratamento precoce contra a infecção pelo HIV poderia reduzir em cerca de 20% em cinco anos o número de mortes por Aids, segundo especialistas reunidos na XVIII Conferência Internacional sobre o tema, com 20 mil participantes, em Viena, organizada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Pelo menos mais 1,2 milhão de pessoas começaram a receber drogas contra o vírus em 2009, o maior aumento em um ano. No encontro, foi apresentado um estudo comprovando que um gel vaginal à base do medicamento anti-HIV tenofovir reduziu as infecções no sexo feminino em 39% durante dois anos e meio, segundo pesquisadores sul-africanos. É a primeira vez que um tratamento desse tipo mostra resultados positivos.

Esses resultados ainda precisam ser confirmados em novas investigações, e o nível de proteção apresentado pode não ser suficiente para que o gel seja aprovado em países como os Estados Unidos. Mas cientistas estão otimistas. A droga ainda diminuiu em 51% o risco de uma mulher contrair herpes genital.

A pesquisa com o gel envolveu 889 mulheres na cidade de Durban e num remoto povoado rural na África do Sul. Segundo o médico Anthony Fauci, do Instituto Nacional de Alergias e Doença Infecciosas do Estados Unidos, disse que é possível fazer estudos que obtenham resultados melhores.

- Os microbicidas vão entrar no mapa – assegurou.

Das 33,4 milhões de pessoas que estão infectadas com o vírus da imunodeficiência humana (VIH) 5,2 milhões foram tratadas no ano passado, em comparação com 4 milhões em 2008. E a organização diz que a terapia deve ser iniciada antes que o portador do vírus adoeça devido à fragilidade de seu sistema imunológico. Estima-se que o número de pessoas que vão necessitar de medicamentos contra a doença aumentará de 10 milhões para 15 milhões até 2015.

- Se trata do maior aumento no número de pessoas com acesso a tratamento num só ano. É um feito muito alentador – disse Hiroki Nakatani, Subdiretor Geral da OMS do Departamento de HIV/Aids, Tuberculose, Malária e Doenças Tropicais da OMS insistiram no tratamento precoce dos portadores de HIV. O objetivo é iniciar a terapia antes que eles adoeçam devido ao enfraquecimento do sistema imune.

- Iniciar o tratamento antes nos dá a oportunidade de conseguir que as pessoas com o vírus estejam mais saudáveis e vivam mais tempo – afirmou Gottfried Hirnschall, Diretor do Departamento de HIV/Sida da OMS.

A OMS diz que o tratamento precoce pode prevenir infecções oportunistas como a tuberculose, que é a principal causa de morte entre as pessoas com HIV. O índice de óbito por essa doença poderia ser reduzido em até 90%. A fortaleza do sistema imune de um individuo se mede através da células CD4. O número de CD4 por milímetro cúbico de sangue de uma pessoa saudável oscila entre 1 mil e 1.500. Antes, a OMS recomendava que o tratamento fosse iniciado quando o contagem de CD4 fosse inferior a 200 células por milímetro cúbico. Agora recomenda-se que ele comece quando esse valor seja igual ou inferior a 350 CD4 por milímetro cúbico.

Fonte:Globo

Data de criação: 21/07/2010
Última atualização: 21/07/2010

Veja também:

AIDS | HIV nas redes sociais

  • orkut
  • twitter
  • facebook
  • youtube
  • rss

Deixe sua mensagem

Lembramos que a equipe do site AIDS/HIV é formada por jornalistas. Portanto, as informações encontradas no site NÃO dispensam as orientações médicas. O nosso objetivo é informar e nunca substituir a palavra de um médico.


(obrigatório)

(obrigatório)

Mensagem