Falta de dados sobre a prevalência de HIV entre criminosos sexuais ganha destaque em evento internacional

23/04/2010 – 13h10

Qual a prevalência de HIV entre os criminosos sexuais? Esta é uma questão que ainda não foi satisfatoriamente respondida no Brasil nem no exterior, de acordo com o coordenador do Programa do Grupo Interdisciplinar de Estudos de Álcool e Drogas do Hospital das Clínicas (USP) Danilo Baltiere, que realizou palestra nesta sexta-feira, 23 de abril, durante o II Simpósio Internacional de Saúde Mental e Aids. O evento termina hoje em São Paulo.

Uma das abordagens que Baltiere utilizou para relacionar crimes sexuais e HIV/aids foi o aumento das vulnerabilidades que as vítimas de abuso podem apresentar. “Há possibilidade de ocorrerem efeitos diretos e indiretos, como baixa auto-estima, realização de comportamentos de risco, atividades sexuais desprotegidas e distorções cognitivas”, explicou.

No Brasil, segundo ele, 4% dos apenados cometeram estupro ou atentado violento ao pudor, sendo que o índice desses casos aumentou cerca de 3,5% entre 2008 e 2009. O pesquisador afirmou também que aproximadamente a metade dos pedófilos são casados e que é comum que há criminosos sexuais que utilizam camisinha.

Perfil e tratamento

Baltieri explicou que os agressores sexuais compõem um grupo complexo e heterogêneo, mas podem ser agrupados em molestadores de crianças, agressores sexuais de adolescentes, agressores de adultos e agressores sexuais cross-over, que estupram todos os públicos e, na visão dele, constituem o maior risco.

“Se um preso possui algum transtorno mental precisa receber tratamento adequado. Mas isso não ocorre, é algo criminoso”, afirmou. Para o palestrante, não adianta aumentar os anos de prisão para esses cimes nem adotar a pena de morte.

Polêmicas envolvendo o Vaticano

Baltieri citou, ainda, as declarações do secretário de Estado do Vaticano, cardeal Tarcisio Bertone, relacionando homossexualidade e pedofilia. “Foi um erro de conceito, um equívoco. Mas o Vaticano já pediu desculpas e discussão tem que ser encerrada”.

Questionado sobre as consequências da afirmação do cardeal em uma sociedade majoritariamente católica como a brasileira, Baltieri respondeu que a população não pode ficar dependente de informações que chegam a ela e precisa se informar, no caso desse tema, participando de congressos e simpósios, por exemplo.

Serviço

O II Simpósio Internacional de Saúde Mental e Aids é uma realização do Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e tem como um dos objetivos a discussão da qualidade de vida das pessoas que vivem com HIV e aids. O evento está sendo realizado entre os dias 21 e 23 de abril.

Nos dias 11 e 12 de junho será realizado o I Simpósio Consumo de Álcool e Drogas entre os Agressores Sexuais – perspectivas internacionais, coordenado por Danilo Baltieri. Mais informações pelo telefone (11) 3069-7892 begin_of_the_skype_highlighting              (11) 3069-7892      end_of_the_skype_highlighting e pelo site www.grea.org.br

Fonte: Agencia Aids de Notícias

Data de criação: 28/04/2010
Última atualização: 28/04/2010

Veja também:

AIDS | HIV nas redes sociais

  • orkut
  • twitter
  • facebook
  • youtube
  • rss

Deixe sua mensagem

Lembramos que a equipe do site AIDS/HIV é formada por jornalistas. Portanto, as informações encontradas no site NÃO dispensam as orientações médicas. O nosso objetivo é informar e nunca substituir a palavra de um médico.


(obrigatório)

(obrigatório)

Mensagem