Estudo indica que, entre homossexuais, tratamento contra a aids não diminui chance de infecção do HIV

23/02/2010 – 14h30

O tratamento com antirretrovirais não diminui a chance de infecção do HIV em relações homossexuais, aponta um recente estudo australiano.

O autor dessa pesquisa disse à Agência Reuters que essa descoberta “não era esperada”, já que o uso do coquetel anti-aids diminui consideravelmente a quantidade de HIV no sangue, o que deveria tornar mais difícil o contágio numa eventual relação sem proteção.

Dr. Fengyi Jin, do Centro Nacional de Epidemiologia do HIV e Pesquisas Clínicas da Universidade de New South Wales (Sidney), ressaltou que aqueles que são “passivos” numa relação homossexual têm mais chance de contrair o vírus. Já os “ativos”, Dr. Jin disse que há evidência de que os circuncidados correm menos riscos.

Para estimar o risco de contrair o HIV nas relações anais sem proteção, os investigadores avaliaram 1.427 homens que relataram ter tido sexo com outro homem pelo menos uma vez nos últimos cinco anos.

Os participantes do estudo foram entrevistados, entre junho de 2001 e dezembro de 2004, sobre seu comportamento sexual a cada seis meses, e testadas para o HIV a cada ano até junho de 2007. Durante o seguimento, 53 homens contraíram o HIV.

O mais arriscado tipo de atividade sexual observada foi o sexo anal receptivo com ejaculação no reto, sendo que numa única relação dessa maneira a chance de contrair o vírus foi de 1,43%. Em relações que não houve ejaculação, o risco caiu para 0,65%.

Na Austrália, os homossexuais representam grande parte das pessoas vivendo com HIV e aids no país.
Setenta por cento dos homens australianos com aids estão em tratamento com antirretrovirais, sendo que três de cada quatro estão com taxas do HIV indetectáveis.

Por isso, é “surpreendente”, dizem os pesquisadores, que os riscos associados às relações anais desprotegidas são tão semelhantes aos que eram no início dos anos 90, quando era raro para um homem soropositivo ter níveis indetectáveis do vírus no sangue.

Fonte: Reuters

Data de criação: 03/03/2010
Última atualização: 03/03/2010

Veja também:

AIDS | HIV nas redes sociais

  • orkut
  • twitter
  • facebook
  • youtube
  • rss

Deixe sua mensagem

Lembramos que a equipe do site AIDS/HIV é formada por jornalistas. Portanto, as informações encontradas no site NÃO dispensam as orientações médicas. O nosso objetivo é informar e nunca substituir a palavra de um médico.


(obrigatório)

(obrigatório)

Mensagem