Contágio do HIV de mãe para filho deve acabar

09 de março de 2010

O Fundo Mundial para a Luta contra a Aids, a Malária e a Tuberculose calcula que até 2015 será possível erradicar a transmissão vertical – de mãe para filho – do vírus HIV.

A projeção é consequên- cia do aumento dos programas financiados por órgãos internacionais em países subdesenvolvidos, especialmente no continente africano.

No último ano, por exemplo, o orçamento da África do Sul destinado ao tratamento da aids cresceu 33% e, entre 2007 e 2008, o número de pessoas que recebem os antirretrovirais (remédios que impedem a multiplicação do vírus) aumentou 53%, segundo a Unaids, a agência da ONU para o combate à aids.

45% das grávidas recebem antirretrovirais

No Brasil, a política de profilaxia da transmissão vertical, que inclui dar antirretrovirais para gestante e bebê, foi implantada em 1996. Com o tratamento, a chance de contaminação, que era de 25%, hoje é de 1% ou menos.

Segundo dados apresentados pela Unaids, há 370 mil crianças no mundo com HIV, sendo que a maioria delas foi infectada por transmissão vertical. No entanto, esse número tem diminuído desde 2001.

De acordo com a entidade, hoje 45% das mulheres grávidas HIV positivas de países subdesenvolvidos e em desenvolvimento recebem os antirretrovirais. Ao todo, estima-se que 2,5 milhões dos 4 milhões de pessoas infectadas com HIV em todo o mundo façam tratamento com esses medicamentos.

Fonte: Zero Hora

Data de criação: 09/03/2010
Última atualização: 25/03/2010

Veja também:

AIDS | HIV nas redes sociais

  • orkut
  • twitter
  • facebook
  • youtube
  • rss

Deixe sua mensagem

Lembramos que a equipe do site AIDS/HIV é formada por jornalistas. Portanto, as informações encontradas no site NÃO dispensam as orientações médicas. O nosso objetivo é informar e nunca substituir a palavra de um médico.


(obrigatório)

(obrigatório)

Mensagem