Anel vaginal é preenchido com substância para combater o vírus da Aids

Tags:,

Um plástico flexível com 4mm de espessura e 5,5cm de diâmetro que libera compostos hormonais na mucosa vaginal e previne contra a gravidez. Simples, o anel vaginal pode ganhar novas e importantes atribuições. Novo estudo mostra que esse pequeno dispositivo também pode ser a chave na prevenção contra a transmissão do vírus HIV. Em pesquisa publicada nesta semana na Science Translational Medicine, o anel vaginal foi capaz de proteger macacos de um vírus composto por genes do HIV e do vírus da imunodeficiência símia (SIV). Os pesquisadores acreditam que esse é apenas um pequeno passo em direção a uma estratégia maior de desenvolvimento de um anel vaginal ainda mais poderoso, capaz de proteger mulheres de diversas doenças infecciosas sexualmente transmissíveis (DSTs), como o HPV e o herpes.

Para bloquear a ação do HIV no organismo dos animais, os cientistas do Conselho Populacional de Nova York preencheram os anéis com microbicidas e os aplicaram em macacos. Normalmente usados em forma de gel, os microbicidas são compostos já conhecidos que, se ministrados no interior da vagina ou do reto, conseguem proteger o indivíduo contra diversas DSTs, inclusive o HIV. No entanto, a substância ainda não está disponível no mercado porque a forma de entrega e a toxicidade no organismo humano ainda estão sob investigação. O estudo desenvolvido pelos pesquisadores americanos avança nessa direção como o primeiro a trazer dados da eficácia de entrega de microbicidas em um anel vaginal, o que indica um sucesso potencial no uso desse dispositivo em mulheres.

Fonte: Correio Brasiliense

Data de criação: 23/10/2012
Última atualização: 23/10/2012

Tags:,

Textos relacionados:

AIDS | HIV nas redes sociais

  • orkut
  • twitter
  • facebook
  • youtube
  • rss

Deixe sua mensagem

Lembramos que a equipe do site AIDS/HIV é formada por jornalistas. Portanto, as informações encontradas no site NÃO dispensam as orientações médicas. O nosso objetivo é informar e nunca substituir a palavra de um médico.


(obrigatório)

(obrigatório)

Mensagem